Toyota lança Mirai, veículo movido a hidrogênio

Toyota lança Mirai2

A Toyota lança o Mirai no mercado japonês, o primeiro veículo híbrido movido a hidrogênio produzido em larga escala. As vendas começam a partir de 15 de dezembro com expectativa de negociar cerca de 400 unidades até o fim deste ano.

O híbrido Mirai marca o início de uma nova Era, trazendo um carro com zero emissão de gases poluentes na atmosfera como o CO2, liberando apenas água ou vapor d’água. O veículo utiliza hidrogênio como combustível para gerar energia elétrica ao motor.

O Mirai possui um motor elétrico, uma bateria, dois tanques de hidrogênio de alta pressão, com capacidade máxima de 70 Mpa, um conversor elevador de tensão, uma central de comando e a célula combustível a hidrogênio – uma estação localizada no centro do assoalho do veículo. É dentro desta estação onde ocorre a reação química para colocar o Mirai em movimento.

O veículo capta o oxigênio da atmosfera através de sua entrada de ar frontal e o leva até esta estação, para onde o hidrogênio contido nos dois tanques também é direcionado. Dentro dela, a célula combustível divide o hidrogênio em duas moléculas, gerando uma carga elétrica. Ao mesmo tempo, o oxigênio se une às células de hidrogênio, formando água. A energia elétrica é direcionada ao conversor, que alimenta o motor do Mirai, e a água é expelida pela válvula de escape. O motor também é alimentado diretamente pela bateria, recarregada por energia cinética gerada pela desaceleração e frenagem do automóvel. O Mirai possui dois tanques de hidrogênio com autonomia para rodar 650 km sem necessidade de reabastecimento.

A alta aceleração da célula combustível da Toyota, combinado a um controle de energia da bateria, acionam o motor elétrico e garantem uma capacidade de resposta poderosa em todas as velocidades. Isso proporciona um aumento imediato de torque na primeira pisada no acelerador.

A estabilidade e o conforto de condução são destacados por conta do posicionamento da célula combustível e dos tanques de hidrogênio de alta pressão sob o assoalho, atingindo um baixo centro de gravidade, com distribuição de peso superior na traseira e frente do veículo. O uso de um corpo de alta rigidez reforça as estruturas em torno da suspensão traseira.

A aerodinâmica da carroceria ajuda a reduzir a resistência do vento, contribuindo para a melhoria da eficiência de combustível e estabilidade de condução. Um modo de direção mais confortável é atingido pelo acionamento elétrico do motor em todas as velocidades e redução do ruído do vento, além de vedação completa de todas as partes do corpo, com a utilização de materiais de absorção sonora e de bloqueio de som otimizada, dispostos ao redor da cabine, reduzindo os ruídos no para-brisa e todos os vidros das portas.

Uma nova técnica foi empregada no design frontal para enfatizar os gradeados à esquerda e à direita que forçam para dentro o ar para a obtenção de oxigênio e para a refrigeração do sistema de células combustíveis.

O perfil elegante da lateral evoca a forma fluida de uma gota d’água para expressar a característica do veículo de aspirar o ar e devolver água. Os trilhos laterais do teto e o capô parecem saltar do corpo do veículo, para criar a impressão de um carro rebaixado e ao mesmo tempo comunicar uma sensação futurista.

A traseira do veículo apresenta um perfil arrojado. O formato trapezoidal se estende da guarnição da placa até a parte inferior dos cantos do parachoque e segue em direção às rodas.

Os faróis transmitem sofisticado luxo e alta tecnologia com seu novíssimo design, com um perfil ultrafino composto por quatro lâmpadas de LED arranjadas em linha, além de dissipadores visíveis e outros equipamentos ópticos. Os indicadores de direção e as luzes de posição frontais estão separados dos faróis, contribuindo para o perfil ultrafino dos mesmos e parecem fundir-se com os gradeados laterais. Isto cria um design despojado e avançado, com uma aerodinâmica que melhora o fluxo de ar. O Mirai vem com rodas de alumínio de 17 polegadas e está disponível em seis cores.

Por dentro, o Mirai cria um espaço de cabine sofisticado, com estofamento macio nas guarnições das portas e nas outras superfícies do interior, com um acabamento prateado de alta luminescência por toda parte.

Os bancos frontais oferecem superior acomodação e sustentação do corpo, decorrência de um processo de produção integrada do estofamento.  Bancos com oito ajustes elétricos proporcionam uma ótima posição de condução, e uma função motorizada de apoio lombar é item de série nos bancos do condutor e passageiro.

O grupo central de medidores localizado na parte superior central do painel de instrumentos inclui um velocímetro e um display de múltiplas informações, representado por uma tela de cristal líquido de 4,2 polegadas, com alta definição. O condutor pode mudar as funções do display utilizando os controles instalados no volante.

Os controles do aquecimento dos bancos e outros controles são operados através de um painel eletrostático de controle do ar-condicionado, por meio de um toque suave na tela plana do display.

As funções que proporcionam um espaço interior confortável são itens de série, tais como o aquecimento do volante e dos bancos (dois ajustes de temperatura em todos os bancos) com aquecimento instantâneo, ao mesmo tempo reduzindo bastante o consumo de energia, ar-condicionado dual zone, com acionamento em modo ecológico, e tecnologia Nanoe de purificação do ar. Estão disponíveis três cores para o interior.

O Mirai utiliza o Sistema de Célula Combustível da Toyota (TFCS – Toyota Fuel Cell System), que incorpora a célula combustível Toyota FC Stack, o gerador elevador de tensão e os tanques de hidrogênio de alta pressão. O TFCS tem eficiência energética melhor em comparação com os motores de combustão interna, e não emite CO2 ou outras substâncias potencialmente perigosas quando em uso.

O Mirai pode servir como gerador de energia (aproximadamente 60 kWh) em casos de quedas ou cortes da força. Quando uma fonte de alimentação (vendido separadamente) for conectada – ligação feita no interior do porta-malas -, o Mirai pode alimentar um sistema completo como uma residência, por exemplo. Eletrônicos também podem ser conectados diretamente e usados tendo o Mirai como fonte de energia.

O hidrogênio pode ser gerado através de uma ampla gama de recursos naturais e de subprodutos de atividades humanas, tais como resíduos de esgoto e lixo industrial. Ele também pode ser obtido a partir da água com o uso de fontes naturais de energia renovável, tais como solar e eólica. Quando comprimido, o hidrogênio tem densidade energética mais alta do que as baterias, sendo relativamente fácil de armazenar e transportar e, portanto, uma potencial fonte de geração de energia.

A tecnologia da célula combustível poderá ajudar a transformar em realidade uma sociedade com base no hidrogênio, contribuindo, portanto, para acelerar a diversificação das fontes de energia limpa.

Fonte: Toyota do Brasil Ltda – Relações Públicas

Toyota lança Mirai

Related posts