Volkswagen revela Cross Coupé GTE

Volkswagen Cross Coupe GTE concept

No final de 2016, a Volkswagen of America começará a produzir em Chattanooga, Tennessee, um dos mais importantes modelos da empresa nas últimas cinco décadas: um utilitário esportivo médio com sete lugares. A contagem regressiva para o lançamento do versátil veículo com comprimento perto de cinco metros já foi iniciada.

Como prévia desse novo sucesso automotivo, a Volkswagen apresenta agora o Cross Coupé GTE, com cinco lugares, no Salão Internacional de Detroit (que ocorre de 12, a 25 de janeiro de 2015): um SUV exclusivo dotado de sistema híbrido plug-in, tração integral através de um “eixo cardã elétrico”, 265 kW/360 hp de potência máxima do sistema e alcance elétrico de 29,6 km/l e 1.

A sigla “GTE” descreve o conceito especial do Cross Coupé e se aplica, de forma genérica, a todos os modelos da Volkswagen com propulsão híbrida plug-in. Eles são veículos esportivos superiores, com motores de alta tecnologia. Eles oferecem as características de viagem de um Gran Turismo (GT) e, graças a um ou mais motores elétricos e uma bateria (responsáveis pelo “E”, de “elétrico” na sigla) que pode ser carregada também externamente, podem rodar também com emissão zero. Na Europa, o primeiro GTE já está no mercado e o segundo, prestes a ser lançado. Eles podem rodar distâncias maiores em modo totalmente elétrico. O SUV apresentado em Detroit também se torna um veículo livre de emissões em percursos de até 32 quilômetros (devido a diferentes métodos de avaliação para a autonomia elétrica nos EUA e Europa, os números não podem ser comparados diretamente).

Todos os modelos GTE podem ser conduzidos de vários modos diferentes. O Cross Coupé GTE traz os programas “E-Mode”, “GTE”, “Hybrid”, “Offroad” e “Battery Hold / Battery Charge”.

O Cross Coupé GTE é o terceiro carro conceito apresentado pela Volkswagen a caminho da versão de produção do futuro SUV médio. Juntos, todos os três modelos conceituais – o CrossBlue, apresentado em Detroit em 2013, o CrossBlue Coupé, exibido em Los Angeles em novembro de 2013, e o Cross Coupé GTE agora mostrado em Detroit – representam apenas uma parte do amplo espectro de versões de SUVs que podem ser criadas com base na arquitetura modular transversal (MQB) desenvolvida pela Volkswagen.  Eles foram desenvolvidos com o objetivo de oferecer no futuro próximo um SUV na América do Norte criado sob medida para o mercado dos Estados Unidos.

Pintado na cor azul “Grand Pacific Glacier”, o Cross Coupé GTE tem uma presença ainda mais forte na estrada do que os carros conceituais mostrados em 2013. Apesar do design de todos os três SUVs ser baseado no DNA de design da Volkswagen e deles compartilharem itens estilísticos comuns, o Cross Coupé GTE rompe em todos os detalhes com os carros conceitos apresentados anteriormente e, assim, aumenta a velocidade a caminho da produção em série. O carro-conceito apresentado agora em Detroit tem 4,847 mm de comprimento e 1,736 mm de altura. A largura é 2,030 mm.

O exclusivo design externo é caracterizado por uma linha estrutural lógica e muito definida. As bordas do longo capô parecem ter sido cortadas a laser. Ele é elevado no meio e continua para os lados e para trás até os para-lamas. A grade do radiador é o elemento dominante da dianteira elevada. Mais do que nunca, os faróis, indicadores de direção e a grade se fundem em um módulo de design único. Duas sólidas barras de alumínio (polidas na frente, escovadas no alto) formam a estrutura básica da grade do radiador. Como asas, as barras transversais tornam-se bem mais finas na direção das extremidades, rumo aos faróis duplos de LEDs.

O design da entrada de ar inferior é tão impactante como o da grade do radiador. As bordas são emolduradas por um friso preto com alto brilho. No interior, há um inserto de alumínio polido com linhas em forma de asa que espelham os elementos correspondentes da grade do radiador. Os faróis duplos de LEDs são itens especialmente fortes e diferenciados. Os módulos compactos de LEDs (que formam um ponto de luz central, como a pupila de cada farol) são responsáveis em parte por isso, assim como uma “sobrancelha” posicionada externamente sobre eles. Os módulos dos faróis externos geram o facho baixo, enquanto os internos são responsáveis pela luz alta.

A assinatura diferenciada das luzes de condução diurna também será reconhecida nos futuros modelos de produção. Ela consiste de um total de quatro pontos de luz dos faróis duplos em LEDs e quatro “luzes aladas em LEDs”: duas no alto da grade do radiador e duas na entrada de ar inferior.

Fonte: Volkswagen do Brasil – Assuntos Corporativos e Relações com a Imprensa

Volkswagen Cross Coupe GTE concept2

Related posts